Desativar Preloader

Comércio de veículos novos em Mato Grosso crescem 16%


Vendas diretas impactam faturamento do setor de distribuição.

 As vendas de veículos novos em Mato Grosso registraram crescimento de 16,13% em janeiro de 2019 em comparação com janeiro de 2018. Segundo dados divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), foram emplacadas 8.252 unidades neste início de ano e 7.106 em janeiro do ano passado.

 
Caminhões e ônibus
 
As vendas de caminhões se destacam ao apresentarem alta de 57,36%, sendo vendidas 310 unidades em janeiro e 197 no mesmo período do ano anterior.
 
Em menor volume - 33 unidades ao todo em 2019 -, estão as vendas de ônibus. Contudo, neste segme3nto o aumento alcança 450%. No mesmo período do ano passado foram comercializadas apenas seis unidades.

Auto e comerciais leves
 
O maior volume de vendas se concentra no segmento de autos e comerciais leves. As 3.754 unidades vendidas nos primeiros 30 dias de 2019 superou o mesmo mês de 2018. Neste caso, a alta é de 9,45%.
 
Segundo os dados, no primeiro mês deste ano foram vendidos no estado 6.083 veículos novos, contra 3.515 comercializados em janeiro de 2018.
 
Motos
 
Já as vendas de motos atingiram 3.417 unidades em janeiro deste ano, um crescimento de 18,24% em relação a janeiro de 2018, quando foram vendidas 2.890 unidades.
 
Dezembro
 
Na comparação de janeiro com dezembro do ano passado, quando foram vendidas 9.428 unidades, houve uma retração de 12,47%.
 
Análise 
 
Para Paulo Boscolo, diretor da Fenabrave – Regional Mato Grosso, o desempenho de janeiro reforça a expectativa positiva do setor para 2019. Ele enumera alguns fatores importantes. “A queda contínua da inadimplência, tanto para pessoa física quanto jurídica, aliada ao aumento da confiança do consumidor influenciaram no resultado deste primeiro mês, na comparação com igual período de 2018", analisa.
 
Sobre a queda em relação a dezembro, Boscolo acredita que o período de férias tem grande influência aliada ao fato de muitos servidores públicos estarem inseguros quanto a novas aquisições, já que há atrasos salariais em âmbito estadual.
 
O diretor explica ainda que a taxa de crescimento em relação aos meses de janeiro é acentuada, em partes, por conta da base de comparação baixa. “O setor começou a se recuperar após quatro anos de queda. Estamos numa crescente, é claro, mas nos mantemos atentos a todos os sinais da economia, ou seja, comemorando com cautela.”
 
Já sobre as vendas de caminhões, os proprietários de concessionárias destes veículos, explicam que o aumento tem relação ao crescimento da produção agrícola e com a greve dos caminhoneiros, ocorrida em maio de 2018. Uma das exigências da categoria para encerrar a paralisação foi o tabelamento dos preços do frete, que provocou aumento no custo do transporte de cargas e levou empresas a comprarem frota própria.
 
Preocupação 
 
Uma situação preocupa o setor de distribuição de veículos. Parte do crescimento nas vendas também se deve a negócios fechados diretamente com as montadoras. Assim, a faturamento das concessionárias não segue o mesmo ritmo que as vendas. Diretor da Fenabrave-MT, Manoel Guedes, explica que, a médio prazo, o pequeno desconto oferecido na venda direta, o que varia conforme o modelo do carro, pode ter consequências ruins para o consumidor.  “Comprar direto da fábrica tende a dificultar o acesso à rede de atendimento, uma vez que o número de concessionárias está caindo rapidamente com o declínio das vendas. Em médio prazo, com a queda no faturamento, elimina-se pontos de assistência e de pós-venda, dificultando acesso às revisões ou outros serviços”, pontua.
 
Nesse tipo de venda, a entrega do carro é feita por uma concessionária, que é remunerada por isso. No entanto, essa comissão costuma ser bem menor do que a recebida pela loja que faz a operação.  
 
 
 
==
Simone Alves
Ass. de Comunicação 
65 9 9648-8069
.


Data: 06/02/2019
Autor: Fenabrave-MT